sexta-feira, 30 de abril de 2010

#FolowFriday - 30/04/10!

Pra ler ouvindo Nadia Oh - Something 4 The Weekend (feat. Space Cowboy):



Mais uma aguardada sexta-feira chegou, então tá na hora de sair apontando no twitter as pessoas que você gosta de seguir, e recomendar pra todo mundo que estiver te lendo. E essa sexta o Frikadica traz uma homenagem a twitteiros sem teto. Isso porque eles não têm um blog famoso, site, nem coluna no Ego, mas eles são pessoas ótimas de seguir, cada um por seu motivo. Vamos aos 5, em ordem alfabética que é pra não dar briga:


@alissongothzzzz - Figura famosa das noites paulistanas, Alisson é a "trava lendária" com maior acervo de links sobre gatinhos fofos, acessórios geeks e vídeos bizarros que você vai encontrar pelo twitter. A mistureba de temas é evidente e divertidíssima, dá pra passar o dia só fuçando nas dicas dele. De quebra, ele sempre tá por dentro de novidades musicais: shows, álbuns novos e festas. E morram de inveja, porque ele vive me passando vários links de filmes de terror!


@luccasbelfort - Tudo bem que ele é um dos redatores do blog Vestiário, e anda dizendo por aí que é redator do Ego também. O twitter dele é diferente do blog, e se tem uma coisa que me deixa intrigado é a nova geração. Velho que sou, gosto de seguir pra entender melhor o que se passa na cabeça dos recém chegados à casa dos 20. Ele tem links do que você imaginar de cultura pop atual, do novo clipe da GaGa ao fim de semana da Lily Allen. Potencial pra ser um Perez Hilton brasileiro?


@pattydijigov - Quem andou pelo Astronete nos anos 2000 sabe quem é. A Patty estava quase sempre na porta, recebendo as pessoas. Hoje ela recebe as pessoas no Alley Club, nas festas do meu compadre Tiago Guinness. E quem acha que ela é apenas um rostinho bonito com estampas de oncinha está errado. Ela entende MUITO de música, e sempre me dá um banho de conhecimento (provavelmente sem saber). Acompanhar o twitter dela é conhecer 20 bandas novas por dia sempre  do bom e velho (ou novo) rock'n'roll. Pago pau.


@rodthemod - Mais famoso pelo antigo username (Metalmickey_), o Rodrigo é uma criatura de hábitos. Assim como eu, ele adora catar e compartilhar links pra baixar álbuns que ele gosta, videos novos, remixes, singles, EPs... A lista não acaba nunca, porque se nós temos mais uma coisa em comum é a busca incessante por novidades. Daí acaba que trocar figurinhas com ele é muito frutífero, você sempre descobre coisas inespedaras!


@vinusculo - Quando ele diz no perfil que é "mais um publicitário no twitter", as pessoas acreditam. Mas é mentira, porque de publicitário ele tem só a formação. O Vinicius tá mais pra caça-notícias. Não sei com qual paciência ele consegue ler quase tudo que é jornal e site de "notícias" da internet (principalmente os piores) e passar os melhores links. Levando em conta que "melhores" inclui os links mais tronchos, toscos e odiáveis. Não lembro quando foi a última vez que eu cliquei em um link dele e não dei risada. (E diz se o background dele não é dos melhores que você já viu?)


Semana que vem tem mais. Pra sugestões de twitters legais, links de blogs/sites/etc e outras coisas, é só mandar e-mail: frikadica@blogspot.com. E não esqueçam de dar RT ali embaixo, os twitters citados no post ficarão gratos.

#Frikadica

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Look completo pro fim do verão.

Pra ler ouvindo Madeleine Peyroux - Summer Wind.



O frio está de volta, em intensidades diferentes dependendo do dia e horário. Mas é fato que as roupinhas de frio precisam ser tiradas do armário enquanto algumas peças do verão ainda podem ser usadas com moderação. O que fazer, então, pra mesclar os cinzas do inverno com os vermelhos do verão? Frikadica te dá um look completinho e unissex pra não errar na hora do meio-termo.

Começamos por uma peça chave para os rapazes (e pras garotas também): o cardigã. Ele deve ser usado com cautela pra não ficar com cara de vovó. Tem gente que usa aqueles tricôs velhos e surrados que dá vontade de espirrar só de olhar. Então aqui tem um modelo bem fofo e moderninho da Eleven Paris, um cardigã bicolor creme e cinza, com decote V bem cavado.

Vany Cardigan by Eleven Paris

O bacana é que como ainda não está fazendo aquele frio de rachar, dá pra usar o cardigã sem nada por baixo, como na foto. Pra quem é mais friorento, o legal é usar com uma camisa de cor clara, em tons pastéis, ou uma camiseta de gola redonda. O preço: €69.


Descendo um pouco, temos as pernocas. Ainda dá pra usar bermudas e shorts, desde que você não morra de frio. Pra isso, esse shorts da O'Connell's com estampa de baleias é muito desejado pelo redator que vos escreve. 

 Whale Shorts by O'Connell's

Pra quem não gosta de estampas infantis, a melhor opção é um modelo liso de cor clara, preto ou azul marinho. Esqueçam os xadrezes, calças e shorts xadrez foram uma febre muito grande nos invernos passado e retrasado. O modelo da O'Connell's custa $79,95.


Peças-chave escolhidas, é hora dos acessórios. Insistem que nesse inverno o que fará os pés dos homens será o modelo dockside. Eu detesto, acho extremamente cafona, especialmente aqueles com costuras grosseiras pelo lado de fora e/ou franjas e coisinhas penduradas na ponta do cadarço. Eu fico com esse modelo listrado da Converse by Jack Purcell.

Converse by Jack Purcell

Discreto, clarinho e lindo. Um restinho da tendência navy do inverno passado. Tudo que um tênis deveria ser, pra quem não quer carregar nas cores escuras do inverno. Esse está por $80 na loja online da Converse.


Ainda tem um acessório indispensável pra fechar esse look semi-inverno: óculos. Confesso que fiquei bem em dúvida na escolha do modelo e da marca, tem muita coisa legal sendo produzida nessa temporada. Depois de muito pensar, o modelo escolhido foi o Maher, da Cassius:

 Maher, by Cassius Eyewear

Apesar de ser mais uma peça num tom neutro, equilibra com os shorts mais exagerados. E dá pra achar modelos parecidos em outras cores também. O negócio é que óculos coloridos já estão começando a cansar, não é mesmo minha gente? Esse modelo está no site da Cassius por $165.


Cinza, bege, caramelo, verde-oliva, roxo, azul-marinho. São as cores clássicas do inverno brazuca. São bonitas, e podem ser usadas por quase todas as pessoas. O problema é usar apenas elas, porque rola aquele perigo de ficar apagado e com cara de senhorzão. A grande sacada é saber equilibrar os tons neutros com os mais fortes, tomando cuidado pra não exagerar com nenhuma das duas direções.


#Frikadica

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Novos exploradores do electro: We Are The World.

 
Quem acha que esse post é sobre o projeto beneficente dos anos 80 ou do remake dele feito esse ano está bem errado. Os leitores amantes de novidades musicais vão amar essa dica, especialmente os fãs de The Knife.

We Are The World é o nome de um projeto eletrônico experimental de Los Angeles que surgiu em 2008 com Megan Gold e Robbie Williamson e hoje conta também com Ryan Heffington (figurinista) e Nina McNeely (coreógrafa). Eles lançaram em Abril seu primeiro álbum "Clay Stones" pelo selo Manimal, que também abriga lançamentos de projetos como Bat For Lashes.

Brincando com as batidas pesadas do techno e as vozes distorcidas experimentais de The Knife, eles fazem um trabalho assombroso e ao mesmo tempo dançante. Até agora, eles só têm um clipe e é de 2009, mas vale muito a pena assistir. Clay Stones:



O álbum conta com 10 faixas de clima sinistro e noturno, parecem saídas de um pesadelo bizarramente divertido. Confira alguns destaques.

A faixa de abertura "Foot Follows Foot" por um triz não é um hit para os dancefloors:



"Afire", a quinta, tem um clima ainda mais tenso com um quê de Peaches, mas sem o sexo explícito:



A penúltima música, "Sweet Things Are So Hard" é um grude instantâneo. A atmosfera seria sexy, se não parecesse trilha sonora para um sacrifício humano:



O álbum fecha com "Lord Have Ass". A música é quase toda instrumental, os vocais vêm só no finalzinho, como que pra dar tchau:
 

No geral, o álbum "Clay Stones" é excelente. Talvez não sirva para baladas (com exceção da faixa-título), mas é ótimo pra ouvir no último volume em casa, no mp3 ou no carro. É um álbum curto, do tamanho certo para não cansar e para dar vontade de ouvir várias vezes. Agora é aguardar pra ver se os singles serão bons, e se os clipes continuarão trazendo boas referências visuais. Abaixo, a tracklist e a capa.

01. Foot Follows Foot
02. Clay Stones
03. Fight Song
04. Lie Like A Forest
05. Afire
06. Not In Death
07. Clover and Dirt
08. Goya Monster
09. Sweet Things Are So Hard
10. Lord Have Ass


"We Are The World" é um grande alerta pra quem acha que experimentalismo musical é igual a chatice, e é um alerta ainda maior para quem acha que Lady GaGa e iamamiwhoami são os ápices da originalidade musical atual.

We Are The World - MySpace

#Frikadica

terça-feira, 27 de abril de 2010

NekkidTees e o humor geek


Se eu fosse muito rico, minha maior coleção provavelmente seria de camisetas com estampas de piadas geeks. E a NekkidTees é uma marca que me lembra disso toda vez que entro no site pra ver as novidades.

A marca e os designs das estampas são de um cara só, o T-Shirt Tommy. Ele começou a fazer camisetas há um bom tempo, e o bom humor e safadeza estão sempre presentes, inclusive no nome da marca. Nekkid, segundo Tommy, não é o mesmo que estar "naked" (nu), mas é uma versão safada da nudez. Estar pelado por motivos excusos.

Mas o importante é que pelado ou não, ele cria t-shirts muito bonitinhas e engraçadas, sempre com um ar meio retrô e com conteúdos que agradam qualquer geek de plantão, como eu. Qualquer fã do Seinfeld, por exemplo, ficaria louco pela tee da "Vandelay Industries":


Eles têm várias seções de tees, das fofas às malandras, pra gamers, pra geeks. Tudo com aquele humor cheio de trocadilhos toscos e frases absurdas. Pra quem tem bom humor e gosta de rir da própria cara e da cara de quem lê as estampas.


No site, é possível encomendar t-shirts e baby-looks femininas e masculinas de todos os tamanhos. Mas nós brazucas temos um probleminha, porque o site não envia encomendas pra cá. Como proceder? Já mandei e-mails pra eles pedindo peloamordedeus que abrisse exceções, e começasse a mandá-las pra cá, mas até agora não obtive sucesso. Mas tá aí a dica, se mais gente encher o saco, ele pode mudar de idéia.


#Frikadica

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Tesourinho da semana: Nina Persson - Losing My Religion


Começa hoje uma nova seção do Frikadica: Tesourinhos da semana. Toda segunda, aproveitando que é dia de #MusicMonday no twitter, o blog traz faixas raras e queridinhas desse que vos fala.

Nina Persson nasceu em 1974 em Örebron (Suécia), e em 1994 apareceu na música como vocalista da banda The Cardigans e em 2001, lançou um projeto paralelo chamado A Camp. Nove álbuns lançados, nos quais muitas das letras são dela, Nina já é um ícone do pop-rock/indie-rock internacional. Ela tem, no entanto, muitos trabalhos desconhecidos e esquecidos em singles e trilhas-sonoras obscuras.

É o caso do cover de "Losing My Religion", do R.E.M. Ela é parte da trilha sonora do longa sueco "Lad De Små Børn" (2004), e infelizmente não fez muito estrondo no meio musical. É, no entanto, uma versão que consegue ser ainda mais poética e dolorosa do que a original. Não chega a ser melhor, mas é com certeza valorosa pra quem gosta de R.E.M. e da Nina. Ouça com cuidado:

Nina Persson - Losing My Religion by brunofrika


#Frikadica

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Nova da M.I.A. - Born Free!



Depois de lançar uma música e um video novos bem chatinhos e causar um rebuliço dizendo que a Lady CaCa anda por aí copiando seu estilo, M.I.A. está voltando ao mercado fonográfico de single novo. Pra quem não lembra a última tentativa furada da moça, aqui está "There's Space For Ol Dat I See":



Depois de chamar a atenção de praticamente ninguém com essa música, M.I.A. seguiu no seu cotidiano básico, twittando sobre sua terra, Sri Lanka, e os horrores das guerras no país. Sobrou um tempinho e a moça resolveu mandar umas farpas pra Lady CaCa, dizendo que tudo o que a "loira" faz é tentar imitá-la - musical e esteticamente.  Leia mais aqui. Alguém concordou? A CaCa não é 100% original, mas daí dizer que é cópia da M.I.A.? Forçou a barra, não?

Mas o que importa é que a moça com cara de indiana e sotaque enrolado está voltando. Caiu na internet hoje uma faixa inédita, chamada "Born Free". Não há nada oficial dito sobre ela ainda, mas é bem provável que seja parte de um álbum novo a ser lançado pela M.I.A. ainda esse ano. E pelo o que dá pra ver, ela continua bem revoltada com o mundo.

A música é bem barulhenta, e diferente dos trabalhos anteriores dela. Sem batidão funk, sem músicas folclóricas, sem rap e sem seu ex Diplo produzindo, o que acontece é um electro-punk bem acelerado, com letras politizadas. Continua com a cara dela, no fim das contas:


(M.I.A. - Born Free)

Agora é esperar pra ver se ela vai seguir esse rumo mais pesado ou se vai voltar a fazer músicas mais dançantes também.

E só pra atualizar o post, a música já ganhou um clipe bem legal e politizado. M.I.A. e o diretor Romain Gavras dão uma palavrinha sobre racismo e direitos humanos. O clipe tem 9 minutos e cenas bem fortes de violência, sangue e até nudez. Pra ficar boquiaberto:
#Frikadica

quinta-feira, 22 de abril de 2010

#FollowFriday - 23/04/10

Essa semana foi quebrada com o feriado de Tiradentes na quarta-feira, então pode-se dizer que tivemos duas sextas-feiras, mas hoje é a oficial. Isso significa que é dia de fuçar o twitter alheio. Ôee! Vejamos as 5 dicas de gente pra seguir:


@artestore - A loja Artestore vende de tudo um pouco, pra quem gosta de arte, moda e artesanato. De roupas masculinas e femininas a quadros e objetos de decoração. Pra quem está querendo redecorar a casa ou mudar o guarda-roupa, aqui tem tudo num lugar só.



@golarrole - Esse blog de Recife tem um visual organizado e muito bonitinho, e vive com posts ótimos sobre novidades musicais pra quem quer fugir do mainstream musical. E isso inclui matérias, resenhas e, pra quem mora em Recife, dicas de festas bem legais.



@GreenpeaceBR - Pra início de conversa, eu sou MUITO fã das pessoas que fazem parte dessa ONG, e daqueles que ajudam a mantê-la. Ativismo ambiental na forma mais pura e direta. No twitter, dá pra saber o que eles andam aprontando e dá pra ajudar em várias campanhas também. Cliques que ajudam a deixar o mundo mais habitável.


@GuiaMBR - Eu sou feminista por natureza. Se eu fosse mulher, viveria com úlcera, de tanta porcaria que fazem com a imagem delas por aí. De comerciais de cerveja cretinos a personagens toscos em filmes de terror. E esse blog é feito por elas pra elas, com muita coisa que mulheres deveriam saber. E homens também, por que não? Informações ótimas e matérias pra dar risada e pensar. O verdadeiro Girl Power. Aliás, Women Power.


@musiquedatabase - Um blog sobre música novinho em folha. E isso não quer dizer que eles não tenham nada pra mostrar. Dá pra ver que eles sabem do que falar e como falar. Já dá pra ler umas resenhas bem legais de álbuns novos que estão circulando pela internet. O avatar deles resume do que eles precisam, e eu concordo demais.


Dêem uma olhada nesses twitters e seus respectivos blogs/sites! Eu achei que seria mais difícil achar toda semana pessoas e blogs interessantes pra comentar, mas ainda bem que pra quem não tem preguiça, isso é fácil! Deixem seus comentários e dêem RT nesse post, aposto que as pessoas citadas aqui ficarão bem felizes! Bom final de semana.

#Frikadica

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Finalmente! Robyn - Body Talk Pt. 1!!!



Demorou e veio em gotinhas, mas agora o álbum novo da sueca Robyn finalmente vazou na íntegra. Body Talk Part 1 faz parte de uma trilogia de álbuns que a cantora vai lançar esse ano.

O álbum tem produções assinadas pelo Kleerup, parceiro da Robyn desde "With Every Heartbeat", além de Diplo (produtor da M.I.A.) e a dupla Röyksopp. O clima tem algumas coisas em comum com o último álbum dela, como os gemidinhos e os trocadilhos sexuais espalhados pelas letras. A produção já é bem diferente. As batidas passam do propositalmente tosco para uma frieza robótica. O resultado? Músicas pop ótimas de dançar, com refrões grudentos e melodias viciantes.

Um faixa-a-faixa rapidinho:

BTP1 abre com "Don't Fucking Tell Me What To Do", uma música que poderia muito bem ser da Gigolo Record, algo gravado pela Miss Kittin. Batida pesada e repetitiva, e a letra é uma sucessão de frases faladas. Tudo está matando a Robyn: a bebida, o fumo, a cabeça, o dinheiro, as costas, o pescoço, o e-mail, as horas, a fala, as compras, os homens, a mãe, a TV.

A segunda faixa, "Fembot", foi uma das primeiras a vazar. O clima já é mais fofinho, e a robotização é o tema da cantora mais uma vez. Ela é gostosa, ela é tecnológica, mas ela também tem sentimentos. E uma capacidade de soltar 1000 palavras em 10 segundos. Tenha medo.

"Dancing On My Own" volta ao clima mais pesado da primeira faixa, mas ao invés das frases irônicas, ela solta farpas a um ex. Música dor-de-cotovelo MESMO. O cara deu um pé na Robyn e tá com outra, e segundo a cantora, a nova não é tão boa na cama. Enquanto se queixa pra nós, ela sofre calada no canto da balada... Tinha que ser produção do Kleerup (mesmo de "With Every Heartbeat")... Emo. Oi?

A faixa 5 é "Cry When You Get Older". É uma batidinha alegre e feliz, algo como um remix de Lily Allen. A letra é fofa e fala de uma garota meio perdida na vida, e a cantora está dando conselhos pra ela. "Amiga, não perca tempo se lamentando. Anda com fé, chora quando for mais velha". E daí em diante são conselhos pra juventude em geral. Boa ação do dia da Robyn.

A sexta faixa, "Dancehall Queen" é produção assinada pelo Diplo. Ao invés dos funks criados pra sua namorada M.I.A., ele resolveu dar uma variada e preparou pra nossa Robyn uma faixa semi-reggae. E nela Robyn mostra novamente toda sua auto-estima. Ela é a rainha da pista de dança, sai da frente que ela tá anti-social. E a música também é legal porque dá pra dançar pulando num pé só! Marley style.

"None Of Dem", a sétima faixa, foi produzida pela dupla Röyksopp, e tem um climão meio futurista, meio filme de terror. Ela veio reclamar de tudo e todos de novo. Nada é bom demais pra ela, nem tão bom quanto ela. Entediada com a cidade, as músicas e as pessoas. "Me leva pra longe daqui". Alguém reconhece isso?

A penúltima é "Hang With Me (acoustic)". Com ela, podemos concluir duas coisas. 1) A Robyn não precisava colocar uma música lenta e romântica no álbum. 2) Ela deve lançar essa música em sua versão mais animada em uma das próximas partes do projeto Body Talk. Mesmo assim, a música é bem bonitinha, e mostra melhor a voz de menina que ela tem. E a produção é bem legal, só nas cordas e piano.

O álbum fecha com "Jag Vet En Dejlig Rosa". Bom, meu sueco está meio enferrujado e ainda não há traduções da letra por aí. Então vamos apenas dizer que talvez seja uma música de ninar escandinava. Os amantes de rock gótico ouvirão todo dia antes de dormir. Eu passaria nas próximas vezes que ouvir o álbum. É boazinha, masszzzz...

Abaixo, a tracklist e a capa:



01. Don't Fucking Tell Me What To Do
02. Fembot
03. Dancing On My Own
04. Cry When You Get Older
05. Dancehall Queen
06. None Of Dem
07. Hang With Me (Acoustic)
08. Jag Vet En Dejlig Rosa


#Frikadica

terça-feira, 20 de abril de 2010

Sia - Clap Your Hands (single).



Conhecida por emprestar sua voz ao grupo Zero 7, a cantora e compositora australiana Sia ganhou destaque no cenário musical mundial em 2000, quando lançou  seu primeiro álbum solo pela Sony, "Healing Is Difficult". O som era um indie misturado com jazz, r'n'b e outras coisinhas, e chegou a aparecer no topo das paradas britânicas com o single "Taken For Granted":





Em 2003, pela "Go! Beat Records", lançou na Austrália e Europa seu segundo trabalho, "Colour The Small One". Mais calmo e até minimalista, Sia mostrou um lado mais introvertido e doméstico. Um disco para se ouvir em casa num dia chuvoso. As músicas deram destaque para a voz suave e melódica, acompanhadas por instrumentos acústicos e sintetizadores discretos. Insatisfeita com a "Go!" por uma suposta má divulgação do álbum, Sia foi recrutada e salva pela gravadora Astralwerks, que era responsável pela trilha sonora do seriado Six Feet Under. A faixa "Breathe Me" fez sucesso ao aparecer no episódio final da série (além de tocar em um desfile da Victoria's Secret). Já ouviu?


Mais tarde, a mesma música apareceu em um episódio de Grey's Anatomy, e em 2006 a Astralwerks lançou o álbum nos EUA, e Sia ganhou pela primeira vez uma visibilidade fora dos eixos australiano e europeu. Em 2007, ela lançou o álbum "Lady Croissant" com faixas ao vivo e o EP "Day Too Soon", com 4 inéditas. O sucesso ficou mais entre os fãs e entusiastas de novidades musicais, o que parecia ser mesmo a intenção.

O quarto álbum, "Some People Have Real Problems" veio em 2008. Pra continuar a tradição, "Little Black Sandals" apareceu em um episódio de Private Practice, e o single que ganhou mais destaque foi "Buttons", que curiosamente era uma faixa bônus e escondida no final do álbum. Em Janeiro daquele ano, ela se apresentou com sua banda no programa do Jimmy Kimmel e chamou a atenção de bastante gente:




Sia está de volta esse ano com o álbum "We Are Born". Até hoje, 6 faixas haviam vazado e mostrado que a australiana havia mudado bastante o estilo. Do estilo meio folk, meio minimal, a Sia volta com um pop mais escancarado, feliz e animado. Obviamente que isso tudo sem perder a produção cuidadosa e as letras bem trabalhadas.

A faixa "You've Changed" foi a primeira delas a ganhar um clipe, e olha que clipe mais fofo!



E eis que o primeiro single lançado por ela para o novo álbum será "Clap Your Hands". Por enquanto, a faixa ganhou duas novas versões, além da versão do álbum. Diplo e Fred Falke foram os produtores que assinaram os remixes da faixa. Diplo fez uma versão pesada, com batida de funk, digno das produções dele para a M.I.A. Um pouco repetitiva, mas até gostosa de ouvir. O remix de Fred Falke já é mais retrô. Com base inspirada na disco, ele deixa a moça cantar mais, com muitos ecos e teclados. Ainda assim, acho a versão original mais gostosa e até mais dançante.

O clipe da música dá ainda mais vontade de pedir pra ela lançar um DVD com todos. Alguém mais quer muito a fantasia de coala? Olha:




As capas dos releases da moça também têm sido impressionantes de tão bonitas. Brincando com imagens, pinturas faciais e cores bem infantis, a Sia tem trazido uma inocência divertida pro pop. Abaixo, as infos e links:


Sia - We Are Born (preview)

01. Big Girl Little Girl
02. Bring Night
03. Clap Your Hands
04. I'm In Here
05. The Fight
06. You've Changed



[D/L]




Sia - Clap Your Hands (Single)

01. Original Mix
02. Diplo Remix
03. Fred Falke Remix


[D/L]





Será que essa mudança veio por influência da namorada da moça? A digníssima é JD Samson, do Le Tigre, conhecida pelo som meio punk, meio electro, meio palhaçada. O mergulho da moça no universo pop parece forte, ela até escreveu 3 músicas pro álbum novo da Christina Aguilera. No que será que isso deu? E mais importante, qual álbum será que vai vazar antes?

#Frikadica

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Daniel Peixoto no reino do Tecnobrega.



Duas explicações básicas para esse post. Daniel Peixoto vocês já conhecem. Meu ex-colega de festas e discotecagens deu uma entrevista pro Frikadica aqui. E tecnobrega vocês também já conhecem. DJ Cremoso foi assunto desse post aqui.

Pois agora saibam que temos as duas coisas juntas, porque o loiro se juntou ao DJ Chernobyl e gravou "Flei" com a participação da Carol Teixeira (da banda Brollies & Apples). O resultado é um electro carregado de referências do brega. Desde a vinheta do Brasil até os acompanhamentos de teclado, passando por uma letra que ao mesmo tempo que lança mais uma ótima mania sem sentido, também usa nomes de DJs que só os fãs do electro reconhecerão.

Flei tem tudo pra virar um hit no Vegas, na Loca, na Trash e qualquer balada que seja moderna o suficiente pra tocar músicas com ótimo senso de humor. Ele me mandou a música há pouco e ela está no repeat, não paro de rir e rebolar na cadeira ao mesmo tempo. É viciante:

Daniel Peixoto - Flei (feat. DJ Chernobyl & Carol Teixeira) by brunofrika


#Frikadica

Novo single da Robyn - Dancing On My Own.



E lá vamos nós no sistema de vazamento por goteira. Uma faixa por vez, o álbum novo da Robyn vai caindo na internet. Depois de "Fembot", "Dance Hall Queen" e "None Of Dem", (todas pra baixar aqui) vaza o novo single da cantora, "Dancing On My Own". Ainda não foi divulgado, mas essa faixa tem cara de ter sido produzida pelo Röyksopp. Pra ouvir:


Robyn - Dancing On My Own

Tá na hora de vazar o resto do álbum de uma vez só, hein!

#Frikadica

Inédita da Kylie - Love Love Love.



A rainha do pop australiano - e eu diria que talvez mundial, mas os fãs da Madonna me apedrejariam - está de volta. Depois do enorme sucesso do elétrico "X", décimo álbum com o qual ela ressurgiu após uma luta com o câncer de mama, Kylie Minogue fez uma turnê mundial enorme que passou inclusive pelo Brasil.

Todo mundo que acompanha a carreira dela sabe que ela está pra lançar algo novo em breve, e ela vai contar com a ajuda de Calvin Harris, Stuart Price, RedOne e Babydaddy do Scissor Sisters, entre outros. Nada oficial foi dito sobre as faixas, mas a cantora disse que se trata de um álbum de dance e pop. Ou seja, o que ela sempre faz (e faz bem)!

Vazou esse final de semana a faixa "Love Love Love", inédita dela que entrará na tracklist do novo álbum. É uma baladinha meio dançante, fofa e bem produzida. Nada espetacular como "2 Hearts" ou "In My Arms", mas ela sabe muito bem o que faz, então devemos esperar algo ainda mais empolgante nos próximos meses. Enquanto isso, Love Love Love:



Pra quem quiser baixar, o link é esse aqui:


#Frikadica

domingo, 18 de abril de 2010

Crystal Castles continua quebrando tudo - e com o mesmo nome!


Não entendeu o título? Continua lendo.

Crystal Castles é um projeto canadense - quem diria, o Canadá atualmente tem uma cena musical bem desenvolvida - composto pelo produtor Ethan Kath e a vocalista Alice Glass. O som deles varia do 8-bit (não sabe o que é? lê aqui) ao punk eletrônico, passando pelo pop e o electro. Tudo misturado numa panela só, jogado pra cima e cuspido na cara de quem estiver por perto.

 (foto: divulgação)

Ao vivo, eles têm fama de dar vexame. Dizem que Alice Glass se exalta e acaba decepcionando... Ou se empolgando demais, depende do ponto de vista... Quando se apresentaram no festival de Glastonbury em 2008, a moça não parava de escalar a estrutura do palco e pular em cima da platéia. Conclusão: interromperam o show. Censura oi?

São barulhentos, são agressivos, são depressivos, e são muito bons. Eles começaram a carreira musical com o lançamento do primeiro single "Alice Practice" em 2006, e desde então lançaram vários EPs e singles. Em 2008, lançaram o primeiro álbum "Crystal Castles" que acabou na lista dos 50 melhores álbuns da década, da revista de música NME. Ficou curioso? Vê o vídeo de Courtship Dating:



Mesmo com toda a gritaria de Alice - e talvez até por causa dela - o som deles é muito produzido e até refinado, mas sem deixar o lado sujo do punk pra trás. Décadance avec élégance.

A ótima notícia do final de semana é que o novo álbum dos canadenses vazou! O nome dele? "Crystal Castles". Original? Não. Dificulta achar informações na internet? Sim. Eu não gostei da brincadeira, mas mesmo assim consegui catar um link pra compartilhar com vocês. Olha as informações do release e o link:

01. Fainting Spells
02. Celestica
03. Doe Deer
04. Baptism
05. Year Of Silence
06. Empathy
07. Suffocation
08. Violent Dreams
09. Vietnam
10. Birds
11. Pap Smear
12. Not In Love
13. Intimate
14. I Am Made Of Chalk
[D/L]


O que acontece no álbum novo? Temos 4 seções:

- Barulhos infernais: Fainting Spells, Doe Deer, I Am Made Of Chalk.
- Paradinhas: Celestica, Empathy, Violent Dreams, Not In Love.
- Dançantes: Baptism, Suffocation, Vietnam, Birds, Pap Smear, Intimate.
- WTF: Years Of Silence (feita a partir de samplers dessa música do Sigur Rós)

Pra quem não gosta de música experimental, talvez não seja uma boa pedida. As faixas parecem meio soltas em meio a muitas referências. Uma hora eles soam como Sex Pistols numa bad trip, outra hora parecem uma versão tediosa de Fever Ray (como em Violent Dreams). A ligação entre as faixas é bem fraca, e são poucas as que realmente prendem a atenção.

Pra quem já curte o som deles, no entanto, esse é um bom álbum. Uma coleção de faixas novas prontas pra serem degustadas aos poucos, repetidas vezes. Pra quem gosta de experimentar coisas novas, é uma viagem e tanto. Requer uma boa paciência e mente aberta.


#Frikadica

sexta-feira, 16 de abril de 2010

#FollowFriday - 16/04/10.


Eba! Mais uma sexta-feira! Dia de matar saudade, como li esses dias pelo twitter. E é mesmo. Matar saudade do(a) namorado(a), dos amigos, das festas, do álcool, e de todas as coisas mais legais que a gente só faz no fim-de-semana. A festa começa hoje, né? Aproveita os últimos minutos sentados na frente do computador e confere os 5 indicados dessa sexta:


@loja_virus - A loja é bem conhecida, tem o maior acervo de modelos Converse que eu já vi. Toda vez que entro no site, passo mal. E olha que eles não são tão caros! Eu não vou mentir, sigo o twitter deles pra ver se tá rolando alguma promoção no site pra ganhar algum tênis.


@homensvaidosos - Como o nome já diz, é praqueles que - como eu - estão sempre atentos à aparência. Aqui tem tudo o que você puder imaginar a respeito de maquiagem para homens. Foi-se o tempo em que só as mulheres desfrutavam de cosméticos pra corrigir imperfeições e realçar os traços do rosto. Homem também pode, viu? O trabalho deles é bom demais, e graças a ele, muita gente anda de olho no talento. Emissoras de TV, inclusive. Né, MTV?


@INFO_DLUXE - Um twitter sobre tudo que envolve o mundo do luxo. Design, jóias, beleza, eventos, lojas. Tudo aquilo que a gente quer ser quando crescer e enriquecer, a gente pode ver antes aqui. Pra babar e ir anotando as dicas, pra colocar em prática quando estiver montado na grana! Ótimo trabalho de pesquisa e organização de informações.


@DataClipe - Um blog bem especializado: só posts sobre videoclipes. Sempre por dentro das novidades videoclípticas, o Conrado pega os melhores flagras e vai comentando sem dó. Eu acho que se os artistas vissem os posts, não ficariam muito felizes: a maioria deles não deve ter senso de humor. Mas como eu tenho, eu me acabo de rir. Só me pergunto como ele consegue imagens tão boas dos videos...


@oifm - Minha rádio preferida, sem puxação-de-saco. Eu não dava nada até meu mp3 quebrar. Quando ficava procurando rádios pra ouvir, sempre parava na Oi, geralmente de noite. E olha, nenhuma outra rádio toca novidades sem medo do jeito que eles tocam. No twitter dá pra saber as novidades da rádio e ainda participar de promoções ótimas.



Por essa semana é só, pessoas! Não se esqueçam de twittar esse post, pro bem dos indicados! É só clicar no botão aqui embaixo. Bom final de semana.


#Frikadica

quinta-feira, 15 de abril de 2010

W Sunglasses: Preciso agora!!!

Certa vez escrevi um post pro meu site favorito de moda masculina - Moda Para Homens - falando sobre os óculos da Cassius (leia aqui). Me apaixonei por vários modelos redondos marrom, bege, vermelho... Mas eu tava moscando pela internet e esbarrei na loja Super (marca de eyewear da RETROSUPERFUTURE). Fui fuçando nos modelos bem bonitinhos que eles têm por lá, num estilo meio wayfairer texturizado, mas com detalhes mais... pitorescos:

O modelo Ciccio Flat Top, por exemplo, é praticamente um wayfairer com o topo achatado e detalhes mais brutos, parece feito de aço escovado:

(Ciccio Flat Top by Super)


Pras meninas, o modelo Lucia é super bonitinho. É um estilo bem retrô, a cara de secretárias dos anos 60, com  armação só na parte superior, e mais grossa nas laterais.

(Lucia by Super)


Ainda encontrei um outro modelo muito charmoso, mas mais extravagante, o Sideview Havana Glitter. Com um nome enorme, tinha que ser um óculos maior mesmo. A parte da frente é até discreta, mas esses óculos têm armação e lente na lateral, é quase um capacete. Achei over & elegante:

(Sideview Havana Glitter by Super)


Mas o motivo maior de eu fazer esse post sobre a Super foi o modelo W. Não sei como explicar, afinal o design dele não é absurdamente original. Acontece que no design, um milímetro pode fazer uma diferença gigantesca, e o caso desses óculos é realmente uma questão de detalhes. Sem palavras, apresento o W:

(W by Super)


Futurista? Retrô? Chamativo? Básico? Geométrico? Glamour? Italiano? Máfia? Tudo isso ao mesmo tempo. Ele vem em diferentes cores, dá uma olhada:

(W by Super)


São todos lindos! O preço? U$125 na loja online da Super. Alguém mais quer MUITO esses óculos?


Pra mais info:
Retro Super Future

#Frikadica

Kate Nash lança "My Best Friend Is You".


Kate Nash, uma inglesinha de apenas 22 anos, já fazia muito sucesso com seu MySpace em 2005, antes mesmo de ter produtores próprios, e estreiou mundialmente na música em 2007 com seu som pop/folk/indie em "Foundations":



Desbocada, azeda e fofa ao mesmo tempo (como quase toda inglesa), Kate Nash lançou seu primero álbum, "Made Of Bricks" em 2007 e ganhou posições de destaque nos festivais e paradas britânicos. Nos EUA e no Canadá, a cantora também deu as caras, e virou queridinha de fãs de cantoras como Amy Winehouse e Lily Allen. Isso porque suas músicas variam bem entre o estilo ska/soul de Amy e o pop-dor-de-cotovelo de Lily.

Esse ano, Kate Nash está de volta com seu segundo álbum, "My Best Friend Is You". Seu produtor desde 2009, Bernard Butler (ex-guitarrista do Suede e produtor da Duffy) a ajudou a compôr várias faixas do novo trabalho. O primeiro single é "Do-Wah-Doo":



Em "My Best Friendy Is You", Kate continua brincando com o visual 1960/70, mas o som dela está levemente mais forte e até feliz. Mais guitarras, metais e baterias mais fortes, ao invés de teclados melosos. Tudo parece uma evolução natural na carreira musical, ela está aprendendo novos truques e se apropriando deles. O problema é que ela parecia tão à vontade no primeiro álbum, que esse segundo parece ter uma produção um pouco exagerada. O resultado, no entanto, não deixa a desejar, até porque a acidez da garota ainda está à flor da pele.

As faixas "Paris", "Kiss That Grrrl" e "Do-Wah-Doo" lembram bastante o primeiro álbum. Por outro lado "I Just Love You More" e "I've Got a Secret", por exemplo, são músicas barulhentas e explicitamente raivosas. Herança do punk, o que poderia ser esperado de qualquer britânico... Mas dá medo, principalmente no final de "I've Got a Secret", quando a moça passa alguns minutos falando/berrando no microfone, aparentemente lendo alguma página do diário dela sobre um dia BEM ruim.

Pra quem está interessado em ouvir tudo:


01. Paris
02. Kiss That Grrrl
03. Don’t You Want to Share the Guilt?
04. I Just Love You More
05. Do-Wah-Doo
06. Take Me to a Higher Plane
07. I’ve Got a Secret
08. Mansion Song
09. Early Christmas Present
10. Later On
11. Pickpocket
12. You Were So Far Away
13. I Hate Seagulls (bonus: My Best Friend Is You)




#Frikadica

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Bow-ties voltando!


Lembra quando eu dei dicas de como ser um Geek? Aqui nesse post

Ali naquele post eu citei o site Shopping das Gravatas, que é uma ótima dica pra quem está precisando de gravatas pra trabalhar, pra um evento social ou só pra dar um ar mais retrô no visual. Lá dá pra achar gravatas borboleta mais clássicas a um preço bem acessível (R$16,50).

(bow-tie by Tom Ford)


Não foi à toa que eu citei as bow-ties. Elas voltaram a ser um acessório bem popular entre os fãs da moda retrô, e nesse inverno elas com certeza serão muito vistas aqui no Brasil. Lá fora, várias marcas já vendem o item com estilos bem variados: dos clássicos aos mais espalhafatosos.

A primeira dica de bow-ties é um site de Vermont, o Beau Ties, que tem gravatas estampadas bem chamativas, ótimas pra quem quer fazer um visual mais over na balada:


Os preços das Beau Ties variam entre U$38 e $45, fora o frete. Pela cara do site, os modelos não foram feitos pensando nos meninos e meninas moderninhos, mas nos jovens senhores que querem ser descolados. Mas isso não impede que elas sejam usadas pra montar um visual legal, né? É só usar o bom-senso e coordenar bem com o guarda-roupa. Dica: use com camisas lisas ou com um xadrez/listrado bem discreto, pra não ficar com cara de dono de cantina italiana.

Outro site que tem modelos bem legais é o David Hart & Co. Obviamente mais sofisticado, ele tem menos modelos mas são um pouco mais sérios, ótimos pra um visual retrô mais geek:


Como era de se imaginar, os preços deles não é tão amigável: U$115 cada uma. Achou caro? Bom, segundo eles, as xadrez são de lã original escocesa. Pra quem está com vontade de dar uma investida, esses modelos são bem mais apropriados pro inverno, com padronagens mais clássicas e cores menos berrantes.

Quem quer aderir à tendência das bow-ties, deve saber de duas coisas muito importantes:

1) NUNCA use gravata borboleta com suspensórios. Por mais magro que você seja, você vai ficar parecendo o Jô Soares. E isso não é legal.

2) Não passe vergonha pedindo pros seus amigos ou vendedores de loja fazerem nós pra você. Quem sabe amarrar o tênis pode aprender a fazer nó em gravata, não é nada de outro mundo. Pras bow-ties, os nós são diferentes, então aqui vai um vídeo bem útil lá do Beau Ties, pra aprender a dar um nó simples:




Se você tem problemas problemas de coordenação e não se dá bem fazendo coisas no espelho, nesse vídeo aqui eles ensinam a dar um nó usando o joelho.

Só lembrando que as meninas também podem usar qualquer tipo de gravata, fica muito bem, e elas sempre podem dar uma exagerada nas cores e modelos, né?

#Frikadica

terça-feira, 13 de abril de 2010

Mais uma da Robyn: None Of Dem (feat. Röyksopp)


A Robyn já deu detalhes do primeiro álbum que vai lançar esse ano, o Body Talk Part 1. Não está sabendo? Lê esse post. Já sabemos que ela está louca pra lançar um monte de música, e também que está a fim de trabalhar novamente com produtores cabeçudos, como ela faz desde seu último álbum. Olha a lista:

- No último trabalho, ela lançou a faixa "Who's That Girl", da qual The Knife assinou a produção.
- Kleerup já fez várias parcerias com ela, entre elas a famosa "With Every Heartbeat".
- Jenny Wilson gravou com ela a música "List Of Demands".
- Participou do álbum Junior do Röyksopp na faixa "The Girl and The Robot".
- Fez o vocal para o Basement Jaxx na faixa "Hey U".
- Cantou com I Blame Coco a faixa "Ceasar".
- Fez um cover de "A Cause des Garçons" da Yelle (enquanto a francesa regravou "Who's That Girl").



Body Talk Pt 1, então, vai continuar o ritmo dessas ótimas parcerias e trazer faixas com colaborações de Diplo, Röyksopp, Kleerup e Klas Åhlund. Como era de se esperar, faixas estão vazando pouco a pouco, e hoje foi a vez da ótima e hipnotizante "None Of Dem", que tem a produção assinada pela dupla Röyksopp. Quer ouvir? Tem todas as novas aqui:


Fembot [D/L]
Dance Hall Queen (feat. Diplo) [D/L]
None Of Dem (feat. Röyksopp) [D/L]


Esse sistema de  vazamento pingado às vezes dá nos nervos, mas é até legal que aumenta um pouco a ansiedade. Normalmente, depois da terceira faixa vazada, o álbum acaba vazando também, pra nossa sorte.

#Frikadica

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Novo álbum do LCD Soundsystem: This Is Happening!


Quem conhece pula pro final do post que tem um link novinho em folha! Quem não conhece, continue lendo.

LCD Soundystem é um projeto do produtor americano James Murphy, dono selo DFA Records. Junto com Al Doyle (que também é do Hot Chip), JD Mark, Phil Skarich, Nancy Whang (que também é de The Juan Mclean) e Pat Mahoney, ele lançou em 2005 o álbum homônimo de estréia. Álbum de estréia duplo não é qualquer um que lança, hein.



O álbum "LCD Soundsystem" mostrava uma mistura praticamente inédita de punk, dance, electro e indie-rock, e imediatamente chamou a atenção de todo mundo: mídia, blogueiros, fãs, DJs e frequentadores de baladas menos pop. As faixas "Daft Punk Is Playing at My House" e "Disco Infiltrator" fizeram um grande sucesso em festas brazucas e gringas. Lembra?



O álbum seguinte, "Sound Of Silver" (2007), não fez tanto sucesso por aqui quanto o primeiro, mas ainda assim foi bem aceito pelos fãs do primeiro."All My Friends" foi o single mais bem sucedido do release, e chegou a ganhar regravações de Franz Ferdinand e John Cale (ex-Velvet Underground):



Desde então, eles lançaram dois álbuns de remixes, fizeram a faixa "Big Ideas" para a trilha sonora do filme "21 - Quebrando a Banca" e prometeram um novo trabalho. E esse ano ele será lançado. O álbum "This Is Happening" já tem o primeiro single "Drunk Girls" bem divulgado pela internet. Já ouviu?

LCD Soundsystem - Drunk Girls by brunofrika

"This Is Happening" é uma continuação fantástica na carreira da banda, com uma produção ainda mais cuidadosa e harmoniosa. Dançante, mais pesado e bem trabalhado, o álbum com certeza vai render ótimos singles e hits pra se ouvir em festas menos farofa. 

As faixas têm em média 8 minutos de duração, o que pode assustar quem ainda não está familiarizado com o som, mas acredite: você não vai ficar entediado ouvindo. Até a faixa de abertura, que tem 9 minutos e é um pouco mais calma, não deixa a desejar. LCD Soundsystem sabe segurar a atenção e os ouvidos. As batidas são sempre viciantes, e o vocal de James Murphy parece não falhar nunca, até quando é propositalmente rouco ou anasalado.

A tracklist, a capa e o link:


01. Dance Yrself Clean
02. Drunk Girls
03. One Touch
04. All I Want
05. I Can Change
06. You Wanted a Hit
07. Pow Pow
08. Somebody's Calling Me
09. Home



[D/L]






Pra quem ainda não está botando fé, é só olhar os Trending Topics de SP. Tudo bem que tem gente que acha que se trata de uma Tv de Plasma cuja tela quebrou e vazou tudo, mas a verdade é que LCD Soundsystem está na mira dos fãs de música inteligente, críticos e empresas de entretenimento mundo afora. Você vai acabar dançando ao som deles, mesmo sem saber.

#Frikadica
Related Posts with Thumbnails